Cebraspe e ONU juntos em auxílio aos venezuelanos em Roraima (RR)

Cebraspe e ONU juntos em auxílio aos venezuelanos em Roraima (RR)

Com a crise na Venezuela, o Brasil recebe cada vez mais venezuelanos em condições de vida extremamente precárias e, portanto, políticas públicas brasileiras são necessárias. Em Roraima (RR), a Operação Acolhida acontece desde o ano passado e terá continuidade em 2019. A força-tarefa para recebimento e interiorização de imigrantes venezuelanos conta com a participação do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), do Exército Brasileiro e da Universidade Federal de Roraima (UFRR), a primeira instituição de ensino superior a se envolver na ajuda aos imigrantes. Como uma organização social de Ensino e Pesquisa, o Cebraspe tem compromisso com as políticas públicas vigentes e também foi convidado a oferecer seus serviços para atuar na Operação Acolhida.
O maior objetivo da iniciativa é o recebimento e interiorização dos novos moradores do Brasil. A diretora de avaliação do Centro, Cláudia Griboski, esteve presente para reuniões em Boa Vista (RR) e comentou a importância de um trabalho conjunto: “o processo de interiorização e o amparo são os pontos de chegada. Esperamos que eles tenham uma vida digna e, para isso, são necessários educação, trabalho e saúde. Nesses quesitos, o Cebraspe tem muito a contribuir”.

Após reuniões com a reitoria da Universidade Federal de Roraima (UFRR) e representantes do Instituto Federal de Roraima (IFR), o Cebraspe se colocou como um parceiro para a elaboração de materiais didáticos, realização de capacitação à distância e promoção de educação bilíngue nas instituições educacionais. Com a sinalização do Centro, o reitor da UFRR, Jefferson Fernandes, visitou a sede do Cebraspe, em Brasília (DF), no fim do mês de abril, para alinhamento de estratégias de ações.